quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Cerpa Re x Pa


Novo comercial da Cerpa criado pela Dahás Comunicação e MKT, para o lançamento das novas latinhas com rótulo do Remo e Paysandu.

31 comentários:

Thiago disse...

Pô, faltou o sotaque belenense. Que estória é essa de "S" sem ser chiado??? Produtora daqui de Belém??? Ator daqui de Belém??? Não pareceu.

Sidney Barra disse...

Mais uma vez dou o crédito pra Dahas por ter emplacado um VT de 1:30. Muito raro por essas bandas você aprovar mais do que 30s.

Tainah Fagundes disse...

Que audio é esse, pelo amor de Deus!!!!

Tainah Fagundes

André disse...

Concordo com o Thiago, onde estão os belenenses nesse vt? Não escutei um 'S' chiado. E a cada vez que eu assisto eu lembro mais do video argentino, que por sinal, é muito bom.

http://www.youtube.com/watch?v=44OwOxUbgos

Friko disse...

Ta aí, fotografia bonita do filme, produzido e tal mas, tinha que chupar com força o video da Quilmes?
After the break e tirem suas conclusões
http://www.youtube.com/watch?v=44OwOxUbgos&feature=related

João Paulo Guimarães disse...

muito doido esse comercial da quilmes. parabens!!!!!

Juan Pablo disse...

Sinceramente todo mundo tem de ver esse vídeo, principalmente os clientes de nossas queridas agências, pois para pagarem uma agência que o único trabalho criativo é entrar no youtube para procurar um comercial de futebol e o primeiro que aparece eles copiam na cara dura, é o fim da picada.
Ouviram senhores clientes se nosso mercado é o que é, é exclusivamente e unicamente por cula de vocês que não exigem melhorias nas agências.

Tainah Fagundes disse...

chupada? plagio total...q vergonha!!!!!!!!

Tainah Fagundes

Izabella disse...

Se era pra seguir uma ideia, no caso do da Quimes, prefiro o dos argentinos. MUITO BOM!

Neio Lúcio disse...

Puts, deve estar havendo suicídio coletivo na Dahás. Os publicitários "super competentes" de Belém que só criam panfletos não gostaram da campanha. O mais engraçado é que o povo consumidor da cerveja (único que realmente interessa)se arrepia quando vê o VT.
PS: Frustração Mata.

Anônimo disse...

um VT muito "duca" igual o Argentino sim... (melhor copiar um boa ideia que criar outra M...)
Agora quanto os paraenses no VT !!!
Pô quem vai aos estádios reconhecem todas essas figuras carimbadas.

Como falou o Lúcio: FRUSTRAÇÃO MATA

Vini.

Anônimo disse...

Não vi o comercial da quilmes ainda mais mesmo assim achei bom o vt da cerpa e da dahas que ainda tentam fazer alguma coisa diferente nesse mercado morto de belém. Parabéns e como Neio Lucio falou, o comercial são para os consumidores não para os publicitários.

Luã Lobato.

Phelipe Oliveira disse...

Rss...

Olha pessoal,
Sugiro irem amanhã no auditório central da FEAPA assistirem a apresentação do TCC do Helder, da Lorena (que não é a Goretti) e da Giovanna. O trabalho deles falam justamente sobre as campanhas da CERPA, e propõem um novo perfil nas comunicações dos produtos cervejeiros da empresa. Tá super bacana o trabalho. Vai ser um show a parte!

Leg disse...

Eu nunca me imaginaria pedindo: "Garçon, me dá uma Cerpa do Leão!. Aquela do comercial da Quillmes." Tampouco, me vejo inclinado em falar alto o nome dos times daqui (me dá vergonha). Parabéns, Dahás. Ideia totalmente chupada e muito bem executada.
Mas, sério: vocês pretendem resgatar o amor pelos times daqui quando ninguém quer saber dos times daqui ou vender cerveja pra afogar as mágoas dos torcedores?

Tancredo disse...

Pronto, o aval para a "chupação" foi dado.

Anônimo disse...

Neio Lúcio, não sou publicitário. Sou consumidor de cerveja. Não gosto de coisa copiada. Suas explicações e provocações não explicaram o fato do comercial ter sido plagiado. Deixa disso. É por isso que esse país não vai pra frente, por causa do espeeeeeertos.

Anônimo disse...

Lúcio, o filme está bom.
Mas houve ou não uma "inspiração" em cima do filme da Quilmes?

raffael regis disse...

Tá lindo o VT, pra uma campanha da cerpa, que depois do barrigudinho lá apostou nos piratas, e principalmente depois daquele VT que a mulher ficava toda gozada de espuma, o nível subiu muito.

parabéns pra equipe da Dahás, né. Mas a locução podia ser de um paraense ao invés de um gaúcho.

Gizé disse...

Po Raffael o nível subiu?! Não caia no erro você tambêm, plágio é crime, no caso da Dahás falta de criatividade.

Anônimo disse...

PUBLICITÁRIOS que parabenizam uma CÓPIA. Tá certo, continuem assim.

Priscila disse...

Plágios à parte, a produção desse comercial foi boa, com exceção, claro, do narrador sulista, que optou por um tom que deveria ser emocionante e irreverente mas ficou assustador.
Na criação, o texto também deixou a desejar. Poderia ser menos clichê e mais coloquial, sem esse monte de "porém" e repetição de palavras como em "Temos fé. Fé que tudo irá mudar pra melhor.".
Enfim, como dizia um certo programa de TV, "Se é pra copiar, copia direito porra!"

raffael regis disse...

Cara, eu parabenizo a execução, a produção, o nível técnico subiu sim, principalmente considerando uma campanha da cerpa, que é um cliente pra lá de complicado, nunca trampei pra eles mas já ouvi altas historias.

Idéia ou cópia de idéia é um papo que eu prefiro não levar, sinceramente. Não existe propaganda criativa em belém, existe plágio bem executado. As campanhas criativas ficam todas guardadas nas gavetas, porque ora cliente não aprova, ora o DC ególatra não deixa passar.

Mas só pra lembrar, até a basílica dessa cidade foi copiada né?

Fester disse...

Espero que os clientes se toquem e não permitam que as agências que os atendem continuem com essa gaitice, de cobrar cara (para o nível daqui claro) para apenas copiar a idéia de um banco de imagens ou do youtube.

Anônimo disse...

Lamentavel o seu posicionamento, Em todas as redes de supermercado de Belém, o melhor preço no mercado é o da CERPA, valorize o que é da terra ao invés de criticar

João disse...

O post deveria se chamar CERPA x Quilmes huahuahua, olha sinceramente quando dizem que um produto é mais barato que os outros, e não é um produto muito bom, é melhor nem se comentar não é?
Mais um problema que esse plágio gerou para o infeliz dono da cervejaria pois tem um monte de gente falando mal do produto dele já que é ele que o comercial mostra. Pegou mal essa história heim.

Anônimo disse...

Gente, pelo amor de Jeová, que negócio é esse de parabenizar peça plagiada? Onde é que estão os execuitivos desta agência que aceitaram oferecer para o cliente uma cópia?
Se fosse na agência onde eu trabalho era demissão na certa... A Jutta Seibel (dona da Cerpa) não deve saber que gastou muito para colocar no ar um comercial que foi copiado de outro.

Helder disse...

Viram o VT do governo federal seguindo o mesmo perfil?! Quem chupou quem agora?!

raffael regis disse...

Assistam o filme "F for fake" do Orson Welles, multipliquem a mensagem do filme pela quantidade de informação que nós recebemos diariamente e depois a gente conversa sobre cópia.

E quem nunca recebeu um briefing do tipo "queremos uma campanha igual a da marca tal" levanta aí o dedo, só pra eu saber quem ainda é estagiário.

Sidney Barra disse...

Viram o VT do governo federal seguindo o mesmo perfil [2]
Parabéns pra Dahas que saiu na frente da agência do Lula :)

Eurito Vieira disse...

Miopia coletiva, só pode ser brincadeira as opiniões a favor do comercial da cerpa.
Piratas Ótimo
Jason fraco
Esse novo comercial é uma vergonha, principalmente por se tratar de uma agencia desse porte, que tanto me fez falar bem da publicidade paraense, dizendo que ela tava ressurgindo.
Estamos no 1 anuário do ccsp com uma peça da Mendes, parece que esquecemos o caminho.
Parece que para os profissionais do Pará existem 3 alternativas:
vai para outro estado trabalhar
Fazer copias descaradas, isso deve ficar lindo no portfólio
Ou reclama que não tem verba, que os clientes isso os clientes aquilo....
Bom vocês São criativos mudem essa realidade ou apenas "Tenham fé. Fé que tudo irá mudar pra melhor.". rsrsrs

Juan Pablo disse...

Alelui finalmente alguêm falou bonito aqui, chega de desculpa e de chorôrô, não me admira nós endeusarmos tanto a publcidade fora daqui de Belém, afinal lá eles são profissionais.