quinta-feira, 7 de maio de 2009

A melhor pior história

Quer levar esse livro pra casa? É facin, facin.

Escreva aqui, resumidamente, uma experiência muito ruim como consumidor em qualquer empresa de Belém. Vale loja de departamentos, lanchonete, restaurante, motel, academia, hospital, tudo. Do jeito que as coisas andam nessa cidade, não vai faltar história. Por isso, só mesmo a melhor pior história leva o livro Consumidor versus Propaganda, de Gino Giacomini Filho.

Mas ó, só valem histórias daqui de Belém, viu? Citar loja tá valendo. Xingar não, que aí já é demais. Tente só não escrever muito. Concisão vale ponto. E, óbvio, não esqueça de assinar e deixar o e-mail para contato, lembrando que só vale uma história por pessoa.

O resultado da melhor pior história sai dia 20 de maio, então comece logo a escrever a sua.

Dúvidas? Expliquei direitinho? Quer levar mais algum item, senhor? Ok, obrigada e volte sempre.

15 comentários:

cleison disse...

Putz, eu comprei uma fonte para o meu PC que tinha 3 meses de garantia, faltando exatamente um dia para o término da garantia, a fonte deu pau, fui na loja pela noite, mas eu esqueci a nota, daí o cara falou que só trocava com nota, mas tava em cima da hora, então eu fui correndo em casa procurar a nota, quando eu achei era tarde e a loja tinha fechado, ainda tentei ir lá no outro dia, mas não trocaram, entao eu pensei:
- esses malditos colocaram um contador na minha fonte, e resumindo eu me f. . .fim da história tosca e sem nexo,
--> contato@cleisoncarlos.com <--

João Felipe Feio disse...

Gostei da ideia! Tenho uma história mais é meio embaraçosa, vou pensar se conto ou não...hehehehe...

Pekena Estagiária disse...

Feriadão passado, tava meio sem grana pra viajar, entao meu marido e eu resolvemos ligar para uns amigos nossos que tbm estavam lisos e fazer uma reuniãozinha de lisos, ai ligamos para o Habib's pra pedir umas esfihas, dai eu liguei e perguntei se entregava na area em q eu moro q é na Aug. Montenegro e a moça disse que sim, ai eu fiz o pedido, tudo certinho e ficamos conversando, depois de 20 minutos ligaram pra casa pra avisar q o nosso pedido estava cancelado pq eles nao entregavam lá no meu conjunto, olha q absurdo eu fiquei mt brava, e com vergonha dos meus amigos, e acabou q todo mundo foi embora com fome e eu fiquei com raiva, fome e vergonha!

lorenapbastos@gmail.com

Anônimo disse...

Lorena, eu tenho um caso clássico de uma barata numa lasanha. Mas não queria mais citar a empresa, podes colocar **** no nome dela?

Oportunidades Belém disse...

Se não quiser citar a empresa, sem bronca. Mande a história e todos os *** que desejar. Abs.

Anônimo disse...

Isso é muito legal. Parabéns pro blog. A gente precisa de espaços como esses mesmo. Tem muita coisa legal em Belém, mas uns e outros estabelecimentos abusam de nossa paciência e boa vontade.
Ouvi dizer que tá chegando por aqui um site que vai abrir espaço pra comentários como esses, onde podemos contar nossos "causos" sobre os serviços de Belém. Os bons e os... digamos, frustrantes. Gerando ranking e tudo!
Se for isso mesmo, já tem uma assídua frequentadora.
Bjos!

Marcela Carvalho

Marcio Rolim disse...

Existia uma loja da Iódice no terceiro piso do Pátio Belém. Entrei lá certa vez (primeira e última, mas última porque é muito caro) pra comprar um jeans. Chamei a vendedora, pois ninguém veio me atender, e perguntei se tinha um jeans básico. A tal olhou na minha cara (cara de pobre) e me perguntou baixinho: "quanto tu tens de dinheiro?" Aquilo me deixou com tanta vergonha e raiva, a situação ficou tão embaraçosa que eu, por incrível que pareça, não fiz barraco (pois sou pós graduado na favela da rocinha). Saí de lá sem responder, muito arrasado.
Iódice - Pátio Belém.

marcio.rolim78@gmail.com

Yu Things! disse...

Segunda feira dia 04/05 fui comprar um celular para dar de presente para minha mãe, ao ir ao quiosque da CLARO, a atendente me informa que o celular é bloqueado, mas eles iriam disponibilizar um cartão de desconto para fazer o desbloqueio do celular numa loja no Patio Belém (CasaMIX) e a atendente afirmou que o preço seria de 30 reais... até ai tudo bem.... comprei o celular e fui até a dita CasaMIX, ao chegar la.... começa a frustação... eles dizem que não existe acordo algum com a CLARO..., com isso... voltei até o quiosque e a atendente liga para a CasaMIX e confirma o tal "acordo"... blz... volto mais uma vez a CasaMIX e ao chegar la... eles lembram do tal "acordo" e informam a pequena quantia do desbloqueio (R$70,00)tudo isso pq eles tinham que comprar um log pra desbloquear o celular ... Lá Eu... volto até o quiosque da CLARO... e outra atendente... me informa de ouuutra loja... mas que esta... seria no comercio... la do lado da YAMADA MATRIZ... ou seja... to la no Patio Belem... e vou ter q ir me embrenhar no comércio..., eu com tooooda "calma" e "paciência" DO MUUNDO!!! (o que um presente pra mãe não faz...) fui na tal loja do comercio... e la... depois de muito andar... tive o problema resolvido, pagando somente 15 reais!!!! e ainda fui informado que a tal CASAMIX manda os celulares na calada da noite pra lá para essa loja... pra poder desbloquear....

Suzana Magalhães disse...

Um dia, 5 amigas e eu fomos a um "restaurante" chamado "O Rei da Picanha". Escolhemos o prato, demorou e quando chegou o pedido estava errado. Apontamos o erro para o garçom, mas este disse que iria demorar muito pra fazer outro pedido, então comemos o errado mesmo. Durante isso, fizemos pedidos e não éramos atendidas. Com o mau atendimento, decidimos não pagar os 10%, pois lá dizia que não era obrigatório.
Pedimos a conta. Pagamos. O garçom voltou dizendo que deveríamos comparecer ao caixa. Fomos. Chegou lá começou a discussão.
O cara levantou a voz e quis nos obrigar a pagar tudo.
Começamos a discutir com ele. Os outros clientes só ouviam a gritaria que ecoava lá de dentro. Depois dessa discussão, o cara viu que estava sem argumentos e inventou que tínhamos dado dinheiro a menos da conta, mesmo sem os 10%, pode? As mais barraqueiras sairam de lá de dentro chamando palavrão, chingando a mãe do dono, pra quem quisesse ouvir que aquele lugar não prestava e que a comida era uma porcaria.

Rei da Picanha, NUNCA MAIS!

Anônimo disse...

Bom, não tenho história pra contar aqui, apenas tô torcendo para a História da Pekena Estagiária (a famosa e eterna "Prenha")




Ass: Nego Drama

Yuji Iamanouth disse...

Ai. Lá vão vocês desenterrarem meus traumas de consumidor desta estranha cidade. Só vale uma né? Bom então lá vai:
Em 2006 bateram meu Peugeot-206 por trás. Pequenos amassados na mala, lanterna traseira e um escapamento danificado. Levei na Toulon (BR316), que tem a assistência bem ao lado. Tudo coberto pelo seguro. Perguntei na loja: Quanto tempo pra consertar? Uma semana no máximo. Ok, fechado, disse. Ligo com 1 semana: Sr, falta uma peça deve chegar em 2 ou 3 dias. Ok. 8 dias depois: Sr, a peça não chegou... 10, 12, 14 dias ligando e nada. Liguei mais uma vez sem o mínimo de educação. O Gerente me explicou que o lote do carregamento das peças chegou, mas minha peça não chegou (ou se esqueceram de pedir). Perguntei por que não pediram urgência. Ele na cara-de-pau me disse que só faziam pedidos quinzenalmente por causa do frete que era caro (mas o consumidor paga por peça). Furioso, aos gritos, disse que todos ali eram incompetentes e coisas piores. Me pediram mais um prazo. O bobão aqui cedeu. 20,25,30 dias: Ironia total. Pedi pra chamar o guarda da segurança. Como assim Sr? O Sr. Quer falar com o guarda? É – respondi – Ele foi o único que não tentei, quem sabe ele resolve meu problema que vocês incompetentes não resolvem... 35,40 dias (isso mesmo!) e o carro parado. Instruído, liguei pra Peugeot em São Paulo. ATENDIMENTO NOTA 10 do atendente. Quase chorei de emoção. Me ligaram de SPaulo no dia seguinte para o celular (a Toulon NUNCA me ligou) e falei com o supervisor. Abriram uma ocorrência e falaram com o gerente daqui. No dia seguinte o gerente da Toulon me ligou, mufino: Sr, seu carro está pronto. Jáaaaa? –indaguei –OK. Mais uma coisa, afinal, qual era a peça que estava faltando? Era um escapamento Sr. ESCAPAMENTO? E vcs não tinham UM escapamento? E o que fizeram pra resolver tão rápido? -Retiramos de um carro ZERO enquanto a peça não chega...
42 dias e o carro entregue. Ai.. é de matar, não é?. Estou com as notas até hoje aqui.
-------------------------
Yuji Iamanouth de Farias – Publicitário

Yuji Yamanouchi disse...

Oi galera do OB. POstei ontem meu "causo" da Peugeot. Tudo bem, pedi para não divulgarem meus dados pessoais (e-mail, cel), mas vcs poderiam fazer a gentileza de substituir meu nome YUJI IAMANOUTH de pelo link do meu blog "Portfolio Yamanouchi", pois gostaria de divulgá-lo sempre q possível. Grato mais uma vez

Michael Wevanne disse...

estava resolvendo algumas pendencias numa agencia do banco do brasil quando descobri que tinha uma divida HA MESES! tive que ir com o gerente para resolver isso: o dinheiro estava lah TODO O TEMPO e a cobrança simplesmente NAO ACONTECEU!

argumentei que nao estava correto eu pagar por um erro do proprio banco, uma vez que poderia ser comprovado que o dinheiro estava depoisitado ha tempos. deixei claro que o problema da minha reclamaçao nao estava no DINHEIRO em si, mas no que era CERTO ou nao.

ele concordou comigo, ainda assim paguei R$50,00 reais de juros, pelo qual ainda pretendo ser ressacido.

o que mais me incomoda eh a capacidade do tal gerente de nao pensar pelo cliente!

-mwevanne@hotmail.com

Anônimo disse...

Dia 01/07/05 (era uma sexta), sentei com meu namorado para jantar uma lazanha na praça de alimentação do ex-Iguatemi. Na segunda fatia encontrei um corpo moreno tão assado quanto a lazanha: era a Dona Baratinha. Meu namorado ainda tentou tirar por menos e disse que tinha caído ali naquela hora, mas não tinha como, ela veio no pacote.

Fui ao balcão da pizzaria reclamar que "ninguém me disse que a barata vinha no recheio". O atendente olhou, conferiu e confirmou. Ela era real. "A sra quer outro prato?". Quando viu minha cara de paisagem, continuou "Então a sra quer seu dinheiro de volta?".

Fui ao SAC, apesar de meu namorado insistir em ir embora pra casa. Redigi uma carta à diretoria do shopping.

Mandei e-mail pra ANVISA, mandei e-mail pra TODO MUNDO que eu conhecia, reclamei no site da pizzaria.

Recebi uma carta linda do shopping dizendo sobre a higienização deles, sobre como as cozinhas são analisadas, limpas e etals.

Recebi uma ligação do gerente da pizzaria do shopping me oferecendo um lanche e convidando para uma visita.

Recebi uma ligação do dono da pizzaria, reclamando que havia destruído a imagem que ele levou XX anos para construir. Que eu fui má, não deveria ter feito aquilo. Bastava que eu reclamasse na loja como eu fiz. E tals. No final das contas, também me chamou para conhecer sua cozinha. "Me avise que dia você quer vir aqui conhecer nossa cozinha".

Thiane.

Yan Fernandes disse...

24 de dezembro, dia festivo, e lá estava eu depois da ceia, mais ou menos 1hs da manhã indo trabalhar na Assembléia Paraense, como fotógrafo.

Saio do predio da minha tia, na Marques com Vileta e vou pegar um taxi. Nao custaria mais que 20 reais. Chegando ao taxista, pergunto o valor que daria até a AP e ele diz:

- R$40,00
Abri uma cara de espanto e disse: - Egua R$ 40,00?? É bem aqui pertinho po!
E ele disse com uma educação britanica:
- Se é aqui pertinho, vai andando então!!!

Nem reclamei, peguei o taxi de trás por 15. Perdeu! hehehe