quinta-feira, 25 de junho de 2009

Revisor

Extraído do jornal Diário do Pará

10 comentários:

Diário de Belém disse...

Logo deduzo que o periódico quer alguém apenas para os pepinos ortográficos.

Minha opinião é que o jornal tem evoluído nos últimos doze meses. Mas falta muito.

O que eles precisam mesmo é de bons redatores (nos velhos tempos, Copydesks) que interpretem e reescrevam tantos textos incompreensíveis.

Já dei boas risadas com a qualidade das reportagens que o diário publica.

Flávio Oliveira

O que a grande mídia paraense não divulga por inúmeros "motivos", você lê aqui:

diariodebelem.blogspot.com

Marcio Rolim disse...

Flávio, te pergunto com todo respeito: tu achas que mesmo os bons redatores não necessitam da expertise de um linguista para rever a qualidade gramatical de seu texto, uma vez que este, mesmo que conheça a linguagem jornalística muito bem, não é linguista? É disso que se trata o anúncio, meu caro: REVISÃO ESPECIALIZADA. Aberrações sintáticas e semânticas surgem a todo instante. Sei do que falo porque reviso textos de gente muitíssimamente competente em Belém, e preciso, todos os dias, reajustar textos caóticos gramaticalmente. Não falo só do local onde trabalho, mas de todos os meu clientes que aceitam o fato de que não conhecem a estrutura da língua como um liguista, embora sejam grandes redatores. De fato, o que eles precisam é resolver PEPINOS ORTOGRÁFICOS. Só. Mesmo contratando grandes redatores "que interpretam e reescrevem tantos textos incompreensíveis", sempre se precisará da revisão resolvedora de pepinos.
Sorte ao revisor que pegar o emprego. Não é grande coisa, mas pode ser um começo para quem não quer ficar só na sala de aula ensinando os futuros redatores a escrever corretamente, mesmo sabendo que eles não vão aprender tudo, e terão que ter seus textos revisados mais tarde.

Diário de Belém disse...

Rolim, um bom jornalista precisa ter texto final. Ter consultoria de um especialista na língua é outra coisa.

Quando falo que já dei boas risadas com o que o Diário publica, é porque a folha sombrancelhuda vacila além dos limites.

Acho legal você ter opinião com relação ao assunto. Isso é bom e saudável. Mas veja só: uma pessoa simplesmente com "nível superior em letras" não está capacitada para o cargo.

O anúncio deveria dizer que a pessoa deve conhecer a estrutura da notícia, do texto factual, noticioso. Entender o que é leader, box, olho, linha fina,pirâmide invertida, chamada, e por aí vai.

Portanto, o que eles precisam mesmo é de um copydesk!

Flávio Oliveira

O que a grande mídia paraense não divulga por inúmeros "motivos", você lê aqui:

diariodebelem.blogspot.com

propagandapodre disse...

Não, querido Flávio, eles precisam mesmo de um revisor. O copidesque (acredite, já está assim no Aurélio Buarque) é o William, que se responsabiliza por leader, box, olho, linha fina,pirâmide invertida, chamada e tudo mais, querido. ELE QUER REVISOR GRAMATICAL. E pra isso, ninguém melhor que o licenciado pleno em letras. Acredito que você decerto, pela sua experiência, se divirta com os problemas do jornal assim como me diverti com o seu texto ao ler SOMBRANCELHUDO, quando deveria ler "sobrancelhudo" (não é soMbrancelha, querido e sim "sobrancelha"). Percebe como faz falta um revisor, até pra você que ri dos outros?
Forte abraço.

Diário de Belém disse...

Precisas estudar então um pouco mais, ô "coisa podre" (brincadeirinha...rsrsrs)

Rolim, tanto 'sobrancelhuda' e 'sombrancelhuda' estão corretos.

Os dois modos são aceitáveis. Sombrancelha vem de sombra.

Você, como "perito" da língua, deveria saber que escrever não é tão simples assim. Existem mil e uma exceções.

Se algum Willian já faz o que não sabe, paciência. Por isso que o texto do referido diário é mesmo de dar risadas.

Atualize-se, caro colega. Agora, eu é que dou risadas da besteira que você escreveu.

Flávio Oliveira

O que a grande mídia paraense não divulga por inúmeros "motivos", você lê aqui:

diariodebelem.blogspot.com

Marcio Rolim disse...

Eu preciso rir disso: hauhauhauhuahuahuahuahuahuahuahuahuhauahuahuahuahuahuahuahuahuahuahua.
Obrigado. Agora só falta você colocar a bibliografia do autor que diz que "Sombrancelha" é ortoépia (você não sabe o que é isso) vigente em língua. Mande-me por e-mail a página do Aurélio, Mattoso, Ewanildo Bechara, ou qualquer um outro nome respeitável que aceita essa ortoépia. "Sombracelha" vem da sua sombra. A sombra da burrice que assola você e tantos outros nesse meio. Sobre atualização, meu caro, faça uma você, de preferência no Ensino Fundamental. Ps.: "sobrancelha" tem raiz em "sobre" - que está por cima. [Sobre + ancelha] - processo de composição por aglutinação.

Marcio Rolim - Licenciado e Especialista em Língua.
marcio.rolim78@gmail.com

Anônimo disse...

Estou assombranlhada com essa sombrancelha... Imagino agora porque "O que a grande mídia paraense não divulga por inúmeros "motivos", você só lê no diariodebelem.blogspot.com".
As sombras nos perseguem a todos, com ou sem sobrancelhas.

Anônimo disse...

SOMbrancelha?
Mas como assim já?
Seria pq faz SOMBRA para os olhos?
Ai ai.. Sem as condição. :D

Anônimo disse...

tanto faz sobrancelhuda e sombrancelhuda, o lance é que acho que o Rollim quer a vaga do diário do pará e ficou ofendido....kkkkkkkk

Régis

Anônimo disse...

É inacreditável o grau de imbecilidade que profissionais formados conseguem chegar.
É por isso que o nosso mercado é tão desunido.